Gruta-de-São-Mateus-em-Bonito

Gruta, caverna e abismo: qual é a diferença?

Apesar de muitas vezes parecerem a mesma coisa, grutas, cavernas e abismos têm suas diferenças e particularidades. O fato é que todas são cavidades naturais subterrâneas e reservam paisagens surpreendentes. Neste texto, você descobre o que as diferem e pode conhecer algumas opções pelo Brasil. 

Espeleologia: estudo das cavidades naturais

Espeleologia é um termo criado por um arqueólogo francês, que denomina a ciência que estuda cavidades naturais subterrâneas, com foco principalmente em cavernas. A área explora a evolução do meio físico, a gênese, o povoamento biológico (atual ou passado) e os meios ou técnicas que representam as cavernas.

Em resumo, a ciência tem como objetivo ter conhecimento e entendimento sobre os contatos que envolvem as cavernas. Formatos, condições geológicas, habitação, potencial turístico, condições climáticas, recursos, usos sustentáveis e influência humana, tudo isso é estudado, documentado e explorado por espeleologistas.

Outras ciências se relacionam com a espeleologia e utilizam seus conhecimentos, como geologia, geografia, hidrologia, biologia, climatologia e arqueologia.

Gruta 

Você já se perguntou o que é gruta? Essa dúvida é comum, afinal, não é algo tão comum e fácil de encontrar em qualquer lugar. Grutas são cavidades de profundidades e formas variáveis, predominantemente horizontal, com pelo menos 20 metros de comprimento.

Uma gruta pode ser encontrada em profundidades de rochas calcárias ou em arenitos de cimento calcário. É comum ter desníveis internos e salões, além de geralmente ter acesso por mais de uma entrada. No entanto, nem sempre é possível atravessá-la.

Caverna 

Cavernas são bem mais comuns, mesmo que você nunca tenha entrado em uma, certamente já ouviu falar ou já viu representações em desenhos animados e filmes. Geralmente, são associadas com assombração e terror. Isso se dá ao fato de ser um ambiente com pouca iluminação e muito eco, mas fique tranquilo, não há o que temer. 

Assim como a gruta, também é uma cavidade natural, mas com apenas uma entrada. É rochosa e seu tamanho geralmente permite o acesso de humanos. Pode ter vários tipos de comprimento e formato. Por ser um ambiente coberto e fechado, é bastante escura e não possui vegetação nativa. Não se surpreenda ao encontrar morcegos, eles costumam circular dentro e em volta de cavernas.

Na pré-história, cavernas serviam de abrigo e moradia para os homens primitivos. Nelas eram desenhadas as artes rupestres que marcaram a história da humanidade. Não há dúvidas de que cavernas representam muito para a história e ciência, mas também tem grande importância no ecoturismo.

Ilustração-mostrando-o-que-é-uma-caverna

Abismo

Outra cavidade natural subterrânea, o abismo pode ser uma espécie de caverna, mas majoritariamente vertical e com desnível maior que 10 metros. Se você associou a palavra a uma abertura profunda no solo, como um precipício, saiba que é exatamente isso.

São mais encontrados em costas marítimas ou próximos a montanhas. O mais comuns estão localizados nos fundos marinhos, com muitos quilômetros de profundidade.

Ilustração-mostrando-o-que-é-um-abismo

Onde encontrar cavidades naturais pelo Brasil?

Nosso país reserva belezas naturais dos mais diversos tipos, entre elas, as cavernas. Temos mais de 18.000 registradas no Cadastro Nacional de Informações Espeleológicas (Canie), de acordo com o Anuário Estatístico do Patrimônio Espeleológico Brasileiro, de 2018.

A maioria se encontra na região sudeste, concentrada principalmente em Minas Gerais e em São Paulo. Em outras regiões, os estados que se destacam são Bahia e Mato Grosso do Sul, que reservam paisagens surpreendentemente belas. Confira abaixo algumas cavernas no Brasil que vale a pena conhecer. 

Toca da Boa Vista – Campo Formoso/BA

A maior caverna do Brasil e da América Latina está localizada no sertão da Bahia, em Campo Formoso. É a Toca da Boa Vista, uma cavidade que tem 113 km de extensão mapeados (seu mapeamento ainda não foi concluído, logo, é possível que seja ainda maior). 

Ela, que também é a segunda maior caverna do mundo, possui vários salões amplos em meio à escuridão, com uma estrutura de labirinto. O trajeto disponível para visitação dura cerca de uma hora. 

Sua entrada é majestosa, seus corredores longos e seu interior tem grande quantidade de poeira, o que pode incomodar os mais alérgicos. Como é de se imaginar, o lugar é extremamente quente, então prepare-se para o calor e hidrate-se durante o percurso.

Gruta de São Mateus – Bonito/MS

Próxima ao centro de Bonito, você pode conhecer a Gruta São Mateus, uma experiência única para quem gosta de aventura e boas histórias. Exatamente por ser uma gruta, você atravessa o espaço, entrando por um lugar e saindo por outro. 

ruta-de-São-Mateus-em-Bonito

A aventura já começa antes de entrar na gruta, pois, para chegar, você caminhará por 15 metros em cima de uma trilha suspensa, com 5 metros de altura. Prepare-se para andar mais 280 metros em meio à mata, até alcançar o interior da cavidade. 

Descendo pelos 60 degraus e iluminado por luz artificial e lanternas, você terá contato com formações milenares. Para quem gosta e entende do assunto, será muito interessante contemplar estalactites, estalagmites, colunas e coralóides. Ao fim da expedição, vale a pena conhecer também o Museu Kadiwéu, um acervo de objetos que representam a história da cidade. 

Abismo Anhumas – Bonito/MS

Dono de uma das paisagens mais incríveis de Bonito, o Abismo Anhumas deixa qualquer um encantado. Apesar do nome, o local é considerado geologicamente uma caverna. Sua descoberta foi em 1970, mas sua abertura para visitação só foi possível quase 30 anos depois, com muitas pesquisas, mapeamento e treinamentos. 

O local tem 72 metros de profundidade, equivalente a um prédio de 26 andares. Ao fim do abismo, você encontra um lago que tem aproximadamente 80 metros de profundidade. Suas águas são tão transparentes, que proporcionam enxergar mais de 20 cones submersos de formação calcária.

Abismo-Anhumas-em-Bonito

Para chegar lá no fundo, onde tudo acontece, é preciso descer verticalmente por rapel. A aventura da descida dura aproximadamente cinco minutos. Ao chegar, você pode praticar atividades como passeio de bote, flutuação e/ou mergulho de cilindro. 

Todos que topam encarar essa aventura precisam participar de um treinamento de rapel, realizado um dia antes da data do passeio. Consiste em uma simulação em cima de uma plataforma de 10 metros de altura. Para a segurança dos participantes, são passadas todas as informações e orientações sobre o passeio e equipamentos.

A experiência, é super exclusiva, pois descem apenas dois grupos de oito pessoas por dia, um pela manhã e outro à tarde, com o acompanhamento de seis monitores. A partir de abril de 2020, isso vai mudar: haverá um guincho para transportar os grupos e o número de visitantes aumentará para 60 pessoas por dia. De qualquer forma, é bom se programar com antecedência para aproveitar um dos melhores passeios de Bonito.

Gruta do Lago Azul – Bonito/MS

No topo da lista sobre o que fazer em Bonito/MS, certamente está a Gruta do Lago Azul, um dos passeios mais conhecidos e procurados do destino. A gruta é uma das maiores cavidades inundadas do mundo. 

Como o nome já revela, o atrativo reserva um belo lago azul de águas cristalinas no fim dos 300 degraus de uma escadaria íngreme. A Gruta do Lago Azul tem pelo menos 10 milhões de anos de existência e, em 1978, foi tombada como Monumento Natural pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Gruta-do-Lago-Azul-em-Bonito

Conheça as cavernas de Bonito com a Bonitour!

Que tal conhecer as grutas e cavernas de Bonito? Você pode se planejar para conhecer quantas quiser e organizar a sua programação no Roteiro Fácil, uma ferramenta da Bonitour que simplifica a criação do seu roteiro de passeios. 

conheça_roteiro_facil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *