fbpx

Ecoturismo: conheça os principais destinos no Brasil

Ecoturismo: conheça os principais destinos no Brasil

De passeios tranquilos e relaxantes até esportes de aventura, não faltam opções para quem quer viajar pelo país e conhecer melhor o nosso patrimônio natural: trilhas, cachoeiras, mirantes, observação de animais selvagens e muito mais. No Brasil, o turismo de natureza é uma prática que conquista cada vez mais adeptos.

Por isso, separamos uma lista com onze dos principais destinos de ecoturismo no Brasil. Confira!

O que é ecoturismo?

Ecoturismo, segundo o Ministério do Meio Ambiente, é o segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista por meio da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações.

Este ramo do turismo é caracterizado pelo contato com ambientes naturais, pela realização de atividades que promovam a vivência e o conhecimento da natureza e pela proteção das áreas onde ocorre. Isto é, ele está fundado nos conceitos de educação, conservação e sustentabilidade. O ecoturismo pode ser entendido, então, como as atividades turísticas baseadas na relação sustentável com a natureza, comprometidas com a conservação e a educação ambiental.

Bonito/MS

O destino

Referência no ecoturismo sustentável, Bonito/MS é um dos destinos mais exuberantes do Brasil. Com opções de atividades em rios cristalinos, trilhas leves e outras mais excitantes, como também cachoeiras boas para banhos e esportes, além de muitas outras atrações, a cidade proporciona momentos inesquecíveis para toda a família.

O que fazer

São muitas as opções de o que fazer em Bonito. Como a maioria das atrações está locada em áreas de preservação, muitas delas possuem um limite diário de visitantes, por isso, é interessante que os turistas comprem os ingressos com antecedência, através de uma agência de turismo.

Algumas opções de roteiros de ecoturismo em Bonito são a flutuação no Rio da Prata (com as águas mais cristalinas da região), a visitação ao Buraco das Araras (onde o turista vai se encantar com milhares de araras pintando o céu, em revoada, por entre enormes paredões), a trilha até a Cachoeira Boca da Onça (maior queda d’água do estado) e finalizar com o maior rapel de plataforma do Brasil.

Flutuação-no-Rio-da-Prata

Quando ir

Bonito é um lugar propício de ser visitado durante o ano inteiro. Mas é claro que existem alguns aspectos a serem considerados, como o clima, a alta e baixa temporada e os gostos característicos de cada visitante. 

Os meses de férias escolares e feriados são considerados período de alta temporada, momento em que é preciso fazer reservas de hotéis e passeios de forma antecipada, para não correr o risco de não conseguir lugar. 

Além disso, grandes eventos como o Festival de Inverno de Bonito, que ocorre no fim de julho, também são considerados períodos de alta temporada. Em especial neste evento, a cidade fica repleta de atividades culturais e musicais, representando um ótimo momento para visitar a região.

Já a baixa temporada acontece nos períodos que não incluem as férias, feriados ou grandes eventos. Este é o momento de aproveitar preços mais acessíveis nos passeios e na hospedagem. 

Chapada dos Veadeiros/GO

O destino

Rica em esoterismo e ecoturismo, a maioria dos turistas que visitam a Chapada dos Veadeiros buscam, justamente, maior contato com a natureza. É um dos destinos mais visitados de Goiás.

O que fazer

A região também proporciona atrações para todos os perfis de turistas. Enquanto os mais tranquilos podem se encantar com a observação de pássaros, fazer trilhas mais leves ou curtir uma massagem relaxante, os mais ousados têm a opção de praticar atividades como rapel e tirolesa, entre outros.

Quando ir

O início da temporada de chuvas, entre setembro e outubro, é um bom período para visitar o local. A seca dá uma trégua, as cachoeiras começam a retomar força e ainda não há grandes temporais. Já os meses de novembro a março exigem bem mais atenção dos visitantes. Vale dizer que esse período é o que oferece cachoeiras mais bonitas e em volume máximo. O visual é espetacular, mas o cuidado deve ser redobrado. 

Poço-Xamã-na-Chapada-dos-Veadeiros

Aline Fortuna / CC BY-SA

Fernando de Noronha/PE

O destino

Fernando de Noronha/PE é um dos destinos brasileiros preferidos dos amantes da natureza. As águas cristalinas, o contato com animais e a tranquilidade são alguns dos maiores atrativos da região.

O que fazer

Dentro e fora da água, as atrações e passeios de Fernando de Noronha encantam turistas de todo o mundo. Hoje, há um limite de turistas que podem estar na ilha ao mesmo tempo e, além disso, é necessário pagar uma taxa de preservação, que pode ser quitada pela internet.

Para aproveitar bem o tempo em Fernando de Noronha, o melhor a ser feito é diversificar os passeios. Uma opção imperdível é a observação de golfinhos, bem cedinho (por volta de 06h), na Baía dos Golfinhos. Outra atividade incrível é a prática de snorkeling, na Praia de Atalaia.

Quando ir

Uma dúvida que muitos tem é de quando ir a Fernando de Noronha. Independentemente do momento escolhido para a viagem, a melhor época para visitar o local é o ano todo. Contudo, a baixa temporada acontece entre os meses de março e junho. A média temporada, no mês de fevereiro e de agosto a dezembro e a alta temporada acontece em janeiro, julho e feriados, principalmente no carnaval e no ano novo.

Morro-Dois-Irmãos-em-Fernando-de-Noronha

Chapada Diamantina/BA

O destino

Com paredões, trilhas e cachoeiras belíssimas, assim como a Chapada dos Veadeiros, esse é um destino para quem procura misticismo, aventura e muito contato com a natureza. No interior da Bahia, a Chapada Diamantina abrange os municípios de Andaraí, Lençóis, Palmeiras, Mucugê, Palmeiras, Ibicoara, Rio de Contas e as vilas de Igatu e Vale do Capão.

O que fazer

Boas opções de ecoturismo não vão faltar para os turistas que optarem pela Chapada Diamantina. Em meio a uma natureza exuberante, os mais resistentes podem se aventurar por uma trilha de cinco dias pelo Vale do Pati, passando por poços d’água, cachoeiras e pequenas comunidades de moradores rurais.

Os esportes de aventura também estão em alta na Chapada Diamantina. Escaladas, tirolesas, canoagem, trilhas são apenas algumas das atividades que os amantes do ecoturismo podem fazer na região.

Quando ir

A região pode ser visitada em qualquer época do ano. A época de seca vai de abril a outubro e a de chuvas não tão intensa, de novembro e março. Para fazer a Trilha do Pati a melhor época é no meio do ano. 

As chuvas de verão (novembro a janeiro) podem enlamear as trilhas, mas deixam as cachoeiras mais caudalosas. Entre março e maio, passadas as chuvas de verão, a Chapada está mais verde e entre maio e setembro, dificilmente chove. 

Poço-Azul-na-Chapada-Diamantina

Maurício Gomes de Oliveira / CC BY-SA

Lençóis Maranhenses/MA

O destino

No nordeste do Maranhão, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é uma unidade de conservação que abarca diversos municípios, entre eles o de Barreirinhas, que possui o melhor acesso ao parque. A cidade está a 250 km de distância da capital São Luís.

O que fazer

Caminhadas ecológicas, banhos em lagoas de águas cristalinas e passeios de barco pelos pontos turísticos do parque são, apenas, algumas das atividades que podem ser feitas para conhecer os Lençóis Maranhenses.

Outro passeio imperdível é a Ilha dos Macacos, onde é possível interagir e observar pequenos macacos-prego. Os amantes dos animais também podem se encantar com a revoada de fim de tarde dos pássaros guará, na Ilha do Caju.

Quando ir

Para visitar os Lençóis Maranhenses é preciso estar atento à temporada de chuvas. É nesse período que as lagoas enchem e a paisagem ganha os famosos contornos com milhares de piscinas de água doce em meio às dunas. A temporada de chuva costuma acontecer de janeiro a junho. Assim que as chuvas diminuem de frequência, as lagoas começam a secar. A partir de setembro, já será mais difícil encontrar lagoas com água suficiente para mergulhos. Quem visita a região depois de outubro corre grande risco de ver as lagoas já bem vazias. Entre novembro e janeiro, a situação é ainda mais crítica e apenas as lagoas perenes ficam cheias. 

 Lençóis-Maranhenses

Smaelmedeiros / CC BY-SA

Jalapão/TO

O destino

Ainda pouco explorado, o Jalapão/TO é um dos mais bonitos destinos de ecoturismo no Brasil. Para conhecê-lo, o melhor caminho é pelo município de Mateiros, a 300 km de Palmas, capital do Tocantins.

No meio do cerrado, as serras, chapadas e águas abundantes propiciam inúmeras opções de divertimento e aventura para os turistas.

O que fazer

Quem vai ao Jalapão, com certeza, não se arrepende. Uma das atividades mais procuradas é a visita aos fervedouros naturais. São espécies de lagoas com pontos de ressurgência das águas dos lençóis freáticos. Eles deixam a água tão densa, que é praticamente impossível afundar, assim como acontece no Mar Morto. Imperdível!

Quando ir

A melhor época para ir ao Jalapão é de maio a setembro. É que este é o período da seca, quando quase não chove e o céu está sempre azul. Nesta estação, o calor chega ao extremo. Os meses mais quentes são setembro e outubro, quando o termômetro alcança os 35 graus.

Dunas-do-Jalapão

Julius Dadalti / Wikipédia

Manaus/AM

O destino

Além de ser um dos destinos preferidos de ecoturismo no Brasil, Manaus ainda conta com uma gama extensa de atividades culturais. Para chegar até lá, existem muitas opções de voos, partindo de todo o país.

O que fazer

Uma das atrações mais famosas de Manaus é o encontro entre os rios Negro e Solimões. O espetáculo formado pela junção das águas escuras do primeiro, com os tons barrosos do segundo, pode ser apreciado durante passeios de barcos nos quais, com sorte, o visitante poderá avistar, também, os botos da região.

Para quem busca conhecer melhor a história da cidade — e do Brasil —, o Teatro Amazonas é mais uma parada obrigatória. O edifício, do ano 1986 é considerado o maior símbolo do Ciclo da Borracha, um período da colonização brasileira que, ainda hoje, tem diversas marcas na sociedade do Amazonas.

Quando ir

Há duas estações diferentes em Manaus: seca e chuvosa. Viajar na estação seca ou na chuvosa proporciona experiências completamente distintas, por isso é importante escolher a data da viagem. É recomendável, ainda, que você visite Manaus nas duas épocas, assim poderá ver ao vivo a impressionante mudança no nível dos rios. 

Prepare-se para temperaturas altas em qualquer época, principalmente no mês de setembro, quando a temperatura passa dos 40ºC. A temperatura média anual fica na casa dos 27ºC, mas com umidade e tempo abafado, a sensação térmica é sempre maior. 

Teatro-Amazonas

Pontanegra / Wikipédia

Serra do Cipó/MG

O destino

A cerca de 1h 30 min da capital mineira, a Serra do Cipó é um dos maiores tesouros do ecoturismo no Brasil. Para quem busca aventura ou um fim de semana tranquilo, o destino propicia bons momentos a todos.

O que fazer

O Parque Nacional da Serra do Cipó possui diversas atrações incríveis. Uma delas é a Cachoeira da Fumaça, que encanta os turistas com uma grande queda d’água e um poço propício para banho. A trilha para chegar até ela, é um pouco longa, mas bem tranquila e pode ser feita de bicicleta.

À noite, uma boa opção é explorar os restaurantes de Santana do Riacho, município principal da Serra. Na maioria dos feriados religiosos, também é possível participar das festas regionais, carregadas de tradição.

Quando ir

A melhor época é a seca, que vai de maio a setembro. Além de não chover, uma profusão de cores se espalha pelos jardins naturais. Evite o período entre dezembro e março, quando as chuvas intensas enchem os volumes dos rios e cachoeiras, representando perigo. Nesse período, a circulação pelas estradas locais fica prejudicada.

Cachoeira-Grande-na-Serra-do-Cipó

Rodrigo.Argenton / CC BY-SA

Caravelas/BA

O destino

Um dos primeiros municípios colonizados pelos portugueses, no sul da Bahia, Caravelas também é um destino nacional muito procurado por quem está em busca de ecoturismo.

O que fazer

A cidade serve como base para um dos melhores pontos de mergulho do país. Além disso, é de lá que saem muitas embarcações com destino ao Parque Nacional Marinho de Abrolhos, repleto de recifes de corais e atrações como mergulhos, observação de baleias-jubartes e muito mais.

Quando ir

Para os adeptos do mergulho, a melhor época para praticar o esporte na região é entre os meses de novembro e junho, quando a visibilidade chega a vinte metros de profundidade. Já no período entre julho e outubro a área é invadida pelas baleias jubarte que dão um show de acrobacias. Os animais aproveitam as águas calmas e quentes para procriar e alimentar os filhotes. 

Baleia-Jubarte-no-Parque-Nacional-Marinho

 Amnemona (Marina C. Vinhal) / Wikipédia

Pantanal/MS

O destino

O Pantanal é uma grande região que abrange os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além de parte do Paraguai e da Bolívia. Reserva da Biosfera e Patrimônio Natural Mundial pela UNESCO, é um dos biomas mais ricos do Brasil, com diversas opções de ecoturismo.

O que fazer

O município de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, é um dos melhores acessos ao Pantanal. Algumas dicas de atrações imperdíveis são: a focagem noturna (na qual é possível observar animais selvagens com hábitos noturnos), safáris; passeios a cavalo, entre outros.

Quando ir

No inverno (de julho a setembro) é a melhor temporada para ver animais no Pantanal. O nível dos rios baixam e os bichos buscam água e alimento  nas margens de estradas. No verão (de janeiro a março) as chuvas do período começam a alagar a planície, com céus, alternadamente, claros e nublados e os animais buscam refúgio em áreas mais elevadas. As temperaturas são altas e chegam a 32°C aproximadamente. No outono (de abril a junho) com o fim da temporada de precipitações, os céus do Pantanal ficam mais claros e os campos assumem tons mais verdes. E na primavera (de agosto a dezembro) é a temporada de céu claro, acasalamento de mamíferos e migração de aves como andorinhas e gaviões.

Pantanal-MS

Eduardo Efrain da Silva / Wikipédia

Serra Gaúcha/RS

O destino

Localizada no estado do Rio Grande do Sul, a Serra Gaúcha é formada por diversas cidades que dispõem de belezas naturais. O turismo na Serra Gaúcha é rico e diversificado, as cidades proporcionam passeios de aventura, contemplação, diversão em família, programas românticos, temáticos e gastronômicos. Matas de araucária, cânions, cachoeiras e montanhas são alguns dos principais atrativos do local.

O que fazer

 A região que se tornou um pólo de turismo e ecoturismo nacional, atrai milhares de pessoas todos os anos e oferece experiências únicas, como: Rafting no Rio Paranhana, Snowland, Passeios de Quadriciclo Alpen Park, Cascata do Caracol, Mini Mundo, Museu de Cera, o famoso Natal Luz e muito mais.

Confira nossa página completa sobre o que fazer na Serra Gaúcha!

Quando ir

Você pode curtir a região durante o ano inteiro: não faltam opções turísticas, seja no verão ou no inverno. Entre abril e outubro, faz bastante frio a qualquer hora do dia.  De novembro a março, mesmo que os dias sejam de bastante sol e calor, à noite costuma fazer mais frio. Por se tratar de uma região serrana, o regime de chuvas pode ser imprevisível, não existe uma época do ano de chuvas ou estiagem. 

Parque-Snowland

Viaje com a Bonitour!

Ficou interessado em conhecer os melhores destinos de ecoturismo do Brasil? A Bonitour pode te ajudar! Em nosso site, você pode montar o roteiro da sua viagem para Bonito, Fernando de Noronha ou Serra Gaúcha de maneira fácil e rápida através do Roteiro Fácil, uma forma simples e prática para organizar a sua viagem. E baixando nosso aplicativo, você tem acesso ao seu roteiro, além das facilidades de check-in online e cashback nos destinos. Acesse o nosso site e confira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


    Receba nossas dicas por e-mail 🙂